Entrevista com Tatiana Salem Levy

Este post é muito especial porque trata-se da primeira entrevista que eu fiz pelo Leitura da semana!

Eu fiquei tão encantada com o livro A chave de casa que não me segurei e mandei um email para editora pedindo o contato da Tatiana Salem Levy. Ela respondeu rápido e topou participar, mas como estava terminando um romance não tinha tempo de responder às perguntas por email. Daí ela me deu seu telefone e conversamos.

Fiquei tão nervosa, mas tão nervosa, que dei vários foras, gaguejei, ou seja, um horror! Isso que uma das minhas funções no trabalho é entrevistar pessoas por telefone. Mas acho que quando você fala em nome de um programa ou veículo que não é projeto seu, fica mais fácil. Naquela conversa era eu, representando eu mesma. Fiquei super tensa e intimidada.

Mas tudo isso foi só para dizer que estou muito orgulhosa de mim por ter superado as dificuldades e postar agora um pouco do que foi minha conversa com a Tatiana #aplausos

A Tatiana é carioca e enquanto escrevia sua tese de doutorado começou a escrever o romance A chave de casa. Sua orientadora ficou sabendo e a estimulou a apresentar o livro no lugar da tese e ela aceitou o desafio.

O livro é uma mistura de ficção e não ficção. “A escrita é sempre pessoal. A partir do momento em que você começa a escrever, aquilo faz parte da sua vida. Na verdade, tem muito mais coisa inventada do que fatos que realmente aconteceram no livro.”

Quando perguntei sobre as diferentes vozes do livro, Tatiana contou que começou a escrever a história com uma só voz, e que as outras foram surgindo pelo caminho. Resolveu escrever tudo ao mesmo tempo, enquanto as ideias surgiam. “Quando terminei tive que imprimir e montar o livro, como se fosse um filme. Tive que descartar muitas passagens que não se encaixavam.”

Cada escritor tem um processo criativo particular. A eescritora nunca se senta na frente do computador sem antes fazer anotações a mão sobre o que quer contar. Tenta planejar a história, por mais que muita coisa mude no caminho. “As vezes faço alguns esquemas com os personagens, crio perfil, mas isso raramente serve para alguma coisa na hora de escrever a história.” Mas ajuda a esclarecer as ideias.

Perguntei sobre suas influências e ela respondeu de maneira bem simples: “Não tenho nenhuma influência.” Calma, não foi tão seca assim. Ela disse que a partir do momento que ela começa a ler uma obra, esta passa a influenciá-la de alguma maneira. Mas isso não quer dizer que  ela volte ao livro para inspiração. O que ela leu e o que a inspirou ficou guardado dentro dela, e isso se reflete no que ela escreve. Na maneira em que ela escreve.

Pedi dicas de escritores brasileiros que ela recomenda, já que conheço poucas obras de escritores contemporâneos. Os nomes citados pela escritora foram:

Carola Saavedra
Michel Laub
Adriana Lisboa
Manoela Sawitsky

Não conhecia nenhum deles, mas já estão na minha wish list!

Tatiana está acabando seu próximo romance e eu já estou na porta da gráfica para ler assim que sair.

Tatiana fofa!

Muito obrigada pela entrevista Tatiana!

Espero que tenham gostado da entrevista. Para mim foi um desafio incrível! Prometo melhorar na próxima.

Anúncios
Esse post foi publicado em Autores, Entrevista e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s