Naquele tempo…

Da Mala da Vovó é uma sessão em que escrevo sobre livros que roubei de minha avó. São clássicos, peças de teatro, e autores de quem nunca tinha ouvido falar.

Orgulho e Preconceito, de Jane Austen é um livro que eu já tinha ouvido falar, óbvio, mas que sempre tive preguiça de ler. Aí, vasculhando as estantes descobri um exemplar da Collector’s Library e fui seduzida.

Essa coleçã traz diversos clássicos em livros pequenos, de capa dura, que parecem antigos. Lindos de morrer! Já quero todos na minha biblioteca dos sonhos.

Mas voltando ao livro. Li em inglês e confesso que no começo fiquei muito confusa com a linguagem. Não sabia de quem a narradora falava, nem com quem as personagens conversavam, mas depois que li algumas páginas me acostumei e a história fluiu.

O casal Bennet possui 5 filhas e não muito dinheiro, o que faz com que o bom casamento de todas seja o grande objetivo da Sra. Bennet. Na sociedade do interior da Inglaterra, tudo se ouve e tudo se sabe. Se alguém novo chega, todos correm para saber quem é e o que quer. Quando o sr. Bingley se muda para a região, todas as moças solteiras ficam de olho nele, já que é um homem smpático, rico e bonito. Já seu amigo Darcy não causa a mesma impressão. Ele não conversa com ninguém, critica todas as mulheres e se mostra extremamente orgulhoso.

Jane, a filha mais velha dos Bennets se apaixona por Bingley e Elizabeth, a segunda filha, despreza Darcy com todas as suas forças. O tempo passa e as relações mudam. Até que tudo se reolve de uma maneira ou de outra.

Muita gente deve dizer que o livro é um retrato da sociedade do século XIX, mas eu acho que podemos dizer que a história ainda se aplica nos dias de hoje.

Levante a mão quem conhece uma mulher que vive atrás do marido ideal.

Levante a mão quem conhece um homem que procura uma companheira submissa e discreta.

Agora levante a mão quem já ouviu falar em uma sociedade que julga as atitudes de todo mundo e que perde preciosas horas falando da vilda alheia (sem hipocrisias: eu faço isso…).

Posso estar enganada, mas a abertura do livro poderia ter sido escrito para os dias de hoje:

“It is a truth universally acknowledged, that a single man in possession of a good fortune, must be in want of a wife.

However little known the feelings or views of such a man may be on his first entering a neighbourhood, this truth is so well fixed in the minds of the surrounding families, that he is considered as the rightful property of someone or other of their daughters.”
Mas além disso, é um romance delicioso e muito feminino!

Ilustrações de uma época

Ilustrações de uma época

Você não quer a coleção inteira?

Você não quer a coleção inteira?

Fotos: Reprodução

Vai lá: Pride and Prejudice

Jane Austen

Collector’s Library

Anúncios
Esse post foi publicado em Da mala da vovó e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Naquele tempo…

  1. Monica disse:

    AMOOOO mais que tudo Jane Austen!!!! Pride and Prejudice é realmente imperdivel e extremamente atual. Sem contar que o jeito que a Jane escreve em ingles é perfeito, de babar!
    Já que voce mostrou sua colecao, olha so o livro liiiiindo de morrer que comprei na Barnes & Noble – hahahaha muito vintage:
    http://search.barnesandnoble.com/Jane-Austen/Jane-Austen/e/9781435103191

    ps: 2011 é aniversario de 200 anos de Sense and Sensibility =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s